Roda de Conversa:

O PAPEL DO ARTISTA

DESDOBRÁVEL

com Denise da Luz e Max Reinert 

(Téspis Cia de Teatro / Itajaí - SC)

e Luciano Pontes 

(Cia Meias Palavras  / Recife - PE)

Ao vivo: Quarta (23/09) 19h30

Disponível até o dia 27/09 

Sobre a atividade: Nos últimos tempos os artistas têm sentido um acúmulo de funções, para além das suas práticas criativas. Além da criação, muitas vezes também é necessário ser educador, agente social, mediador, produtor, administrador, etc. Em épocas pandêmicas soma-se ainda a necessidade de se adaptar ao universo virtual e audiovisual para manter-se conectado ao público. Como se dá o papel e a lida desse artista desdobrável?

Téspis Cia. de Teatro (Itajaí,SC), fundada por Denise da Luz (atriz e figurinista) e Max Reinert (dramaturgo e diretor), é um grupo de teatro que desenvolve espetáculos para crianças e juventude desde 1993. As principais características de suas produções são a utilização da literatura como fonte de releituras e o desenvolvimento do teatro de animação e do teatro físico como linguagem contemporânea para esse público. Já participou dos principais festivais de teatro do país e do circuito de festivais internacionais de teatro de animação, incluindo Canela (RS), Curitiba (PR) e São Paulo (SESC Ipiranga).

Luciano Pontes - Escritor, ilustrador, ator e palhaço. Graduado em design gráfico com especialização em literatura infantil e juvenil pela UCS/RS. Escreveu e ilustrou as obras “Uma Andorinha Só”, “Seu Rei Mandou” e “Belizbel”. Em parceria com outros ilustradores escreveu “Uma História Sem Pé nem Cabeça”, ”O Carrossel do Tempo”, “Ouvindo as Conchas do Mar”, “Disse me Disse, “Deslembrar”. É idealizador e criador de narrativas visuais do Projeto Livro Mural com as obras “Remeta” e “Sereimar”. É curador do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns – Filig. Fundador da Cia Meias Palavras de Teatro e integra o elenco de atores palhaços dos Doutores da Alegria em Recife.